Prefeitura de Curitiba

Portal Administrativo do Município

Curitiba, 20 de julho de 2017
   

Entorno da Praça João Cândido, no Centro Histórico, será revitalizado

27/04/2016
capa

A região do entorno da Praça João Cândido, que abriga as Ruínas de São Francisco, no Centro Histórico de Curitiba, receberá obras de revitalização que incluem, entre outras ações, a instalação de um Centro de Atendimento ao Turista. O projeto, desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), será apresentado para debate com a comunidade nesta quinta-feira (28), no Memorial de Curitiba.

“Trata-se de uma obra de grande importância para a cidade e aguardada com expectativa pela comunidade”, destacou o secretário do Planejamento e Administração, Fabio Scatolin, durante a abertura da consulta pública para definição da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017 (LDO 2017) da Regional Matriz, realizada na tarde desta quarta-feira (27), no Cenáculo Arquidiocesano.

O projeto de revitalização abrange as ruas Saldanha Marinho, Ébano Pereira e o entorno da Praça João Cândido, que é tombada pelo Patrimônio Histórico Estadual. O trabalho de revitalização mobilizará uma força-tarefa na qual estarão envolvidas diferentes secretarias, em áreas como Defesa Social, Turismo e Obras.“Estão previstas ações como o alargamento de calçadas, iluminação especial e instalação de rede de monitoramento e a mudança do ponto de parada da Linha Turismo para perto de um novo Centro de Atendimento ao Turista”, detalhou Daniela Mizuta, coordenadora de Projetos Urbanos do Ippuc.

Balanço

Scatolin, que representou o prefeito Gustavo Fruet na audiência, destacou os esforços da atual administração em meio à atual crise política e econômica que o País enfrenta, não só para manter em boas condições e em pleno funcionamento as estruturas e equipamentos públicos, como também ampliar os serviços à população. “A Regional Matriz, uma das maiores da nossa cidade, com mais de 200 mil habitantes e cerca de 480 equipamentos públicos, tem merecido atenção em diversas áreas como saúde, educação, transporte, iluminação, mobilidade”.

Entre as principais ações de mobilidade, Scatolin destacou a instalação das Vias Calmas em importantes avenidas da região central, como a Sete de Setembro  e a João Gualberto, esta em fase de implantação. Esta obra permitirá integrar diversos bairros da região norte à rede cicloviária da capital, fortalecendo o conceito do compartilhamento dos modais. A via terá 13,5km de extensão (ida + volta) e seu percurso passará por três terminais do transporte coletivo – Cabral, Boa Vista e Santa Cândida.

“As Vias Calmas têm contribuído de maneira significativa para a redução das mortes no trânsito. Em 2010, Curitiba registrou 280 mortes no trânsito. Nos últimos anos, com o conjunto de programas implantados pela administração municipal, reduzimos este número em 40%, para 180 mortes, o que significa que estamos avançando nesta área para salvar vidas”, enfatizou.

Scatolin lembrou também os importantes investimentos em abastecimento, educação e saúde realizados nos diversos bairros da Matriz. “A Educação é uma prioridade desta administração. Reformas e ampliações de escolas, bibliotecas e CMEIs foram realizadas. A reconstrução do CMEI Vila Torres está pronta para ser entregue à população”, comentou. Entre outras ações nesta área, ao todo quase 1,5 mil pessoas foram beneficiadas com a inauguração da Escola Municiopal Integral Noely Simone Ávila e com a reorganização do espaço interno do Farol do Saber Gibran Khalil Gibran.

Na área da Saúde, as unidades Capanema e Ouvidor Pardinho, que agora atende em horário ampliado até às 22 horas, realizam mais 25 mil atendimentos mensais. Entre outros investimentos, foram implantadas a nova sede do Distrito Sanitário Matriz, da UPA da Matriz e também do Ambulatório Enccantar. Encontra-se em licitação o projeto para implantação da sede do Centro de Referência Especializado na Saúde do Trabalhador (Cerest), pela reforma da Casa Portugal.

Participação popular

As consultas públicas da LDO têm por objetivo envolver a população na discussão das metas e prioridades que serão assumidas pela administração municipal no próximo exercício. Na mesa de atendimento de Manutenção Urbana da Cidade, a presidente do Conseg Bigorrilho, Andrea Regina Portela dos Santos, que mora no bairro desde que nasceu, apresentou diversas solicitações. “Trouxemos demandas específicas de um grupo de aproximadamente 600 moradores do Bigorrilho. Solicitamos Academia ao Ar Livre, parquinho infantil, aumento de efetivo da Guarda Municipal e mais áreas de lazer na região”, disse Andrea.

Maurina Carvalho da Silva mora na Vila Torres há mais de 40 anos. Ela é presidente do Conselho Local de Saúde e apresentou uma solicitação para o orçamento de 2017. “Acho importante participar. Já tive sucesso em exercer minha cidadania representando minha comunidade. Conseguimos uma unidade de saúde e a antiga creche da Vila Torres, que a atual gestão assumiu e será inaugurada com atendimento em tempo integral”, explicou Maurina. “Hoje, fiz o pedido para a construção de um muro de arrimo na extensão do Rio Belém, que passa dentro da Vila Torres. É preciso participar”, concluiu.

O administrador de empresas e presidente da Associação de Moradores e Empresários das Mercês e Vista Alegre (AMOEM), Antonio Carlos de Carvalho, 42 anos, destaca a importância da proximidade da consulta pública com o cidadão. “Já estive em outras reuniões com o prefeito e secretários e aprovo o formato, pois sei com quem estou falando para depois cobrar resultados”, avaliou Carvalho que apresentou pedido de um binário da Rua Jacarezinho e a instalação de um CMEI na região.

Participaram da consulta pública da Regional Matriz 212 moradores e representantes de instituições ligadas aos 18 bairros que formam a região. Ao todo, foram contabilizadas 145 solicitações nas urnas e 26 atendimentos nas mesas. Nas mídias sociais, 193.769 pessoas foram impactadas, das quais 177.221 no Twitter e 16.548 no Facebook.

Para o administrador da Regional Matriz, Maurício Figueiredo Lima Neto, a consulta pública serve de parâmetro para a atuação da Regional. “Avaliamos cada caso com a equipe e procuramos fazer o melhor para garantir atendimento e serviços à população”, disse Lima Neto.

Além de secretários municipais, lideranças, associações e conselhos da comunidade, estiveram presentes à consulta pública a presidente da Fundação da Ação Social, Márcia Fruet; o Reitor da Igreja da Ordem Terceira, Padre Waldir Gomes Z. Junior; os vereadores Paulo Salamuni, Julieta Reis, Tito Zeglin,  Pedro Paulo, Rogério Campos, Felipe Braga Cortes e Paulo Rink.

A LDO serve de base para elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA), a qual define as prioridades na aplicação dos recursos do orçamento municipal que, segundo estimativas, deverá ficar em R$ 8,9 bilhões em 2017. 

A última Consulta Pública da LDO será nesta quinta-feira (28) no auditório da nova sede da Administração Regional Cajuru, na Av. Prefeito Maurício Fruet, 2150, esquina com a Rua Professor Nivaldo Braga, ao lado do terminal do Capão da Imbuia. A reunião começa às 16 horas.

Depois de encerrados os debates, o documento será finalizado e apresentado em uma audiência pública no dia 11 de maio às 16h no Salão de Atos do Parque Barigui, e posteriormente encaminhado à Câmara Municipal.

Imprimir | Voltar