Prefeitura de Curitiba

Portal Administrativo do Município

Curitiba, 24 de novembro de 2017
   

Estátua gigante de Confúcio será instalada no novo Largo da China, no Centro Cívico

12/09/2017
capa

A Bienal de Curitiba terá a China como país homenageado e tomará, a partir de 30 de setembro, diversos espaços culturais da cidade com obras de artistas nacionais e internacionais. O evento também deixará um presente para Curitiba. Uma estátua em bronze e aço do filósofo Confúcio (551 – 479 a.C), de autoria do artista Wu Weishan, foi doada pelo governo chinês e será instalada no Largo da China, no Centro Cívico.

A escultura de grandes dimensões (2,94 m de altura x 1,58 m de largura x 1,50 m de profundidade) pesa 1,2 tonelada e chegou ao Porto de Santos com as demais obras que serão expostas na mostra. Esta edição da Bienal de Curitiba terá um dos maiores acervos de arte contemporânea chinesa já apresentados na América Latina. “Estamos resgatando o protagonismo mundial de Curitiba”, diz o prefeito Rafael Greca.

A inauguração do Largo da China, localizado na rotatória ao lado da Praça do Rio Iguaçu, no cruzamento das ruas Marechal Hermes e Deputado Mário de Barros, deverá ocorrer no mesmo dia da abertura da bienal e contará com a presença de autoridades chinesas e também do artista. Para receber a estátua de Confúcio, a praça ganhará um novo projeto paisagístico com referências à filosofia e à cultura chinesas, como os canteiros na forma do Yin-Yang.

A obra de arte é uma homenagem a um dos maiores pensadores e filósofos do Oriente, autor de um rico conjunto de ensinamentos de ordem moral e política. Confúcio pregou, entre outros fundamentos, a importância da educação para a formação do caráter e a construção de uma sociedade melhor. O confucionismo se transformou numa das correntes doutrinárias mais importantes da China, com milhões de adeptos.

A escultura que vem para Curitiba é de autoria de um dos mais renomados artistas chineses, cujos trabalhos estão expostos em mais de 20 países.   Wu Weishan é professor e foi responsável por fundar o estilo livre da escultura moderna chinesa. No Museu de Najing há uma galeria permanente de obras de sua autoria e o Instituto Politécnico de Macau mantém um estúdio dedicado aos seus trabalhos. Atualmente Wu Weishan é diretor do National Art Museum of China (Namoc).

Imprimir | Voltar