Prefeitura de Curitiba

Portal Administrativo do Município

Curitiba, 24 de novembro de 2017
   

Guarda Municipal faz rapel e tirolesa com adolescentes no Fazendinha

14/11/2017
capa

Adolescentes assistidos pelo Centro de Referência e Assistência Social (Cras) Vila Sandra participaram de uma atividade voluntária da Guarda Municipal de Curitiba, durante a tarde desta terça-feira (14). Capacitada em ambiente vertical e atividades com cordas, a equipe de guardas municipais repassou instruções de rapel e de tirolesa aos jovens, na Rua da Cidadania do Fazendinha.

Após enfrentar o receio inicial, quem participou demonstrou empolgação durante a atividade. “Meu coração acelerou muito e, mesmo tendo muito medo de altura, eu gostei muito”, contou Larissa Fernanda, de 15 anos.

“Este é mais um exemplo prático do policiamento comunitário defendido pela Guarda Municipal de Curitiba. É uma satisfação participar de projetos sociais como este, exercendo uma forma de segurança diferenciada”, relatou o guarda municipal e coordenador de projetos da Gerência de Instrução da Guarda Municipal, Marcelo Boza. A atividade também foi estendida às crianças que praticavam esportes no local.

A ação da Guarda Municipal feita nesta terça-feira (14/11) foi uma dentro do leque de atividades de prevenção programadas pelo Departamento de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde, após mapeamento das regiões de maior vulnerabilidade. As atividades também contam com o apoio do Departamento de Políticas Sobre Drogas.

Entre as ações são feitas, também, oficinas, para desenvolver habilidades como pensamento crítico, assertividade, criatividade, enfrentamento de medos, resolução de problemas e posicionamento frente às mais diversas situações.

“Ao fortalecer valores protetivos, demonstramos a esses adolescentes que existem outras possibilidades dentro da cidade em que vivem. Enfrentar o medo em uma atividade como esta pode ser o início de uma grande superação, de tomadas de decisões: ‘eu quero, posso e vou fazer diferente’”, opinou Fernanda Ricardo, do Departamento de Atenção Primária à Saúde.

Imprimir | Voltar